Passagem para a Nike: Uma entrevista com Gonçalo Falcão

Gonçalo Falcão
Gonçalo Falcão | Nike

Entre o interesse pelos Nike Dunk High e a entrada para Nike foram alguns anos. Afinal, tudo pareceu um processo natural para alguém que faz do interesse pela moda e pelos sneakers um modo de vida. Gonçalo Falcão, actualmente a exercer funções como Key Account Executive na sede ibérica da Nike, em Barcelona, deixou-nos o seu testemunho e impressões sobre o mercado de sneakers. As dimensões, a oferta, e as diferenças entre os mercados nacional e espanhol são alguns dos temas da entrevista. Leiam em baixo, como num salto.
 
Como é trabalhar na Nike?

Trabalhar na Nike é algo único, pois estamos em contacto directo com o dia-a-dia de uma das maiores marcas do mundo! O ritmo como em qualquer empresa multinacional é alto, mas sabes a experiência que adquires é também ela muito enriquecedora tanto a nível profissional, como pessoal.

E a passagem para Espanha, como é que aconteceu?

A passagem para Espanha, não é mais que uma evolução para um mercado 4 vezes superior ao português com um cultura distinta e com um leque de oportunidades muito maior ao que temos em Portugal, pois trata-se da sede ibérica, um centro de decisão.

Desde quando é que desenvolves um interesse particular por sneakers?

A minha entrada na Nike deu-se há 8 anos, exactamente para desenvolver o mercado de moda, onde incluímos o de sneakers! O interesse vem daí… em media no meu armário tenho 25 pares de “sneakers”. É algo que acompanha qualquer pessoa que trabalha na Nike, é inevitável!!

É possível identificar com precisão grandes diferenças entre o mercado espanhol e o mercado nacional a nível de sneakers?

O mercado de sneakers é em muito regulado pelos clássicos e aí não há grande margem de manobra. Nota-se, no entanto, que por exemplo em Portugal temos uma cultura muito forte de Retro-Basket (AF1, Dunk, etc) que se reflecte no mercado mais mainstream e Air Max que começa agora a surgir novamente, que em Espanha só agora começa a surgir.

Ao contrário, aqui há uma cultura muito forte de Retro-Running (Vengeance, Pegasus 83, etc) que em Portugal ainda está um pouco tímida, embora comece dar alguns sinais.

Achas que a existência de alguma falta de oferta em Portugal prende-se tão só com a dimensão do nosso mercado, ou com alguma falta de necessidade de diferenciação que existe?

Existe oferta, não temos é dimensão!!! Em Lisboa e Porto, existem diversas opções para adquirir um sneakers pese embora o mercado ter atravessado um período complicado derivado à crise económica. Penso que neste momento já existe uma retoma, com o surgimento de algumas novas lojas… e novos conceitos!

Andas muitas vezes de sneakers?

Trabalhando numa empresa como a Nike, o ambiente é casual e claro o uso de sneakers é perfeitamente normal…

Se tivesses que escolher uns sneakers (quer como ícone, ou como simbólicos para ti) quais é que seriam?

Tenho uma diversidade enorme de sneakers, mas a eleger um creio que teria que ser as Nike Dunk High, será aquele que me acompanha desde o inicio, mesmo antes de entrar na Nike.